Pano Pra Manga

(Rosa Passos / Paulo César Pinheiro)

Ele fez tanto agrado
fiz por ele mil planos
e no pano sagrado
nós juntamos os panos

Entre quatro paredes
foi mudando o contrato
ele no pano verde
e eu no pano de prato

Todo dia os parentes
a falar do fulano
e eu a pôr panos quentes
por debaixo do pano

Como eu tava de touca
ele ganhava o mundo
fui o pano-de-boca
pro seu pano-de-fundo

Se é assim que ele gosta
vou mostrar pra o fulano
mas que um pano de amostra
velas a todo pano

Não vai ser mais com zanga
vai ser no mano-a-mano
vai dar pano pra manga
quando cair o pano