Madrugadas frias

(Simona Talma, Valéria Oliveira)

Adoro quando o dia amanhece quando quero amanhecer/ quando não, prefiro as

madrugadas frias sem você/ um emaranhado de cores persegue minha

imaginação/ tentativas vãs para me fazer desapegada/ vejo ondas mas nada

draga minha mente rápida/ entre pilhas de ideias alheias/ me ofereço ao escuro

do sono ou à claridade dos sonhos/ até que tudo se apaga quando o sol está por

vir/ mas a ocasião é ideal para falta de tudo/ inclusive de dor, na madrugada que

alimento a sua falta/ me viro sem resposta/ nesta cama, nesta vida, nesta trama

da ausência/ adoro quando o dia amanhece quando quero amanhecer/ quando

não, prefiro as madrugadas frias sem você/ com você ou sem você

rogério pitomba – bateria/

paulo de oliveira – baixo/

jubileu filho – violão aço e guitarra